IMPLANTAÇÃO DO PCCS DA SAÚDE

André Ceciliano realiza reunião entre servidores da saúde estadual  e o governador em exercício, Cláudio Castro, para tirar plano de cargos e salários da categoria do papel

O plano de cargos, carreiras e salários (PCCS) dos servidores da Saúde estadual pode estar perto de sair do papel, depois de dois anos após a sanção da lei. O presidente da Alerj, André Ceciliano, o então vice-governador, Cláudio Castro, e o secretário estadual de Fazenda, Guilherme Mercês, se reuniram, no dia 20 de agosto, com deputados da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e representantes do “Movimento PCCS Já”  e discutiram o tema.

“A reunião foi para  abrir o diálogo entre os chefes do Executivo e a categoria sobre a proposta dos servidores de implantar um plano escalonado”, afirmou Ceciliano. A categoria apresentou duas propostas ao vice-governador, Cláudio Castro, e aos secretários de Estado de Fazenda, Guilherme Mercês, e de Planejamento e Gestão, Bruno Schettini.  A primeira, reduz o índice de reajuste mensal nos primeiros dois anos de efetivação do plano e aumenta nos dois últimos. A segunda, reduz o índice de reajuste mensal, ampliando o prazo de implantação do plano de 48 para 60 meses.

Para o diretor da Associação dos Servidores de Vigilância Sanitária do Rio (Asservisa), Andre Ferraz, a Alerj tem sido uma aliada de primeira hora: “A Assembleia está muito empenhada em fazer o PCCS sair do papel e resgatar a dignidade do servidor da saúde. Desde o presidente passando por todas as bancadas”, ressaltou Ferraz.

O vice-governador, Cláudio Castro, reforçou que o Estado é sensível à implantação do PCCS: “A pandemia teve impacto não só na saúde, mas nas finanças, haviam passado que problema não era só financeiro, que o plano acabaria acarretando em perda de pessoas, abandono. Essa era uma visão que se tinha antes. Assumo o compromisso de elaborarmos propostas concretas”, disse Castro na ocasião.

O secretário Guilherme Mercês, frisou que é possível aliar as propostas: “A categoria está disposta a negociar, acho perfeitamente possível chegarmos a um entendimento”.

LUTA DE QUASE 30 ANOS

O plano de cargos, carreiras e salários (PCCS) dos servidores da Saúde estadual é uma luta da categoria de mais de 30 anos. Várias reuniões foram coordenadas pelo presidente da Alerj, André Ceciliano, junto com outros deputados da Casa até a aprovação da que instituiu o plano. “O que queremos agora, é que efetivamente o reajuste tão sonhado da categoria saia do papel. As pessoas vêm aqui, se emocionam, me emociono junto porque sei da importância deles para a área da saúde, especialmente agora nesse momento de pandemia”, explicou Ceciliano, ressaltando que o Regime de Recuperação Fiscal é hoje a principal barreira para que a lei seja efetivamente cumprida e o que está se buscando são alternativas para que o estado cumpra a lei, sem ferir o regime.